banheirão no shopping

Banheirão no shopping

Tentei segurar, mas acabei trepando no banheirão do shopping

Banheirão no shopping – Aprendi que “NUNCA” é uma palavra que não existe no meu vocabulário. Sempre leio e me excito bastante com contos de banheirão em shoppings e supermercados, mas jamais pensei que teria coragem de fazer.

Ultimamente tenho quebrado vários tabus meus. Esse conto aconteceu na última sexta, 09/08/2019. Faço um curso pela manhã, até 12:00h. Nesse dia, resolvi sair mais cedo, às 10:30h, após o primeiro tempo.

Peguei um ônibus que me deixasse numa parada mais movimentada. Essa parada fica em frente a um shopping no qual já fui chupado dentro do elevador como já contei em uma outra ocasião. Eu estava com vontade de fazer xixi e tem um banheiro desse shopping que é muito conhecido por rolar banheirão.

Sempre que entro nele, tem pelo menos dois caras se separando rapidamente ou coisa do tipo. Como eu não tava a fim de usar esse banheiro, até pq na última vez eu não consegui fazer xixi, pois todos os boxes e mictórios estavam ocupados, fui num outro banheiro.

Esse outro é mais tranquilo… Nunca vi rolar nada nele pois fica ao lado do cinema então tem sempre criança com pais e tal. Entrei e não tinha ninguém, fui no primeiro box e fiz meu xixi. Escuto a porta abrir. Ao sair tinha um rapaz, magro, branco, de cabelo enrolado grande, por volta de 25 anos, num dos mictórios.

Me dirigi à pia para lavar as mãos e ao olhar pelo espelho, notei que ele me vigiava e fazia movimentos de que estava se masturbando. Ok, ele era gato e eu até estava na seca. O tesão me subiu rapidamente. Fui para o útimo box, e ele estava no mictório em frente a ele.

Deixei a porta aberta, botei meu pau pra fora e comecei a me masturbar também. Ele chegou até a porta e pude ver melhor seu pau. Que sorte a minha, era grande e rosadinho… Uma pena que estava raspado!

Me abaixei, logo meti a boca e chupei gostoso. Ele tinha uma tatuagem perto da virilha, e uma barriguinha raspadinha e com gominhos. Não resisti e dei umas chupadas na sua barriga também. Nessa hora, ouvimos a porta do banheiro abrir. Ele rapidamente voltou pro mictório e eu pro box, ainda com a porta aberta.

Esperamos o cara ir embora e ele voltou, e dessa vez já chegou me beijando… E como beijava bem! Fui empurrando sua cabeça pra baixo pois queria ser chupado também. Ele entendeu e se agachou abocanhando meu pau. Eu fodia sua boca segurando seus longos cabelos enrolados… Eu quase gozei por um momento mas me segurei.

Ele pediu pra eu me virar pois queria ver minha bunda, o safado apertou e perguntou se eu queria dar. Eu logo neguei, pois já seria demais pra mim, além do mais, só dou se eu estiver beem preparado.

Voltamos aos beijos e nos punhetando.
-Quer me fuder então? – ele perguntou… Por que não? Pensei.

Pro cara ficar ainda mais perfeito, ao se virar, além de ter uma bundinha branca durinha, era peludinha. Ai como gosto de bundinha com pelinhos, não em excesso, mas um pouco fica bom. Eu queria mesmo era lubrificá-la chupando, mas diante da situação não tinha tempo nem jeito… Passei apenas um pouco de cuspe e fui colocando meu pau.

Assim que entrou tudinho, comecei a meter, não muito forte pois ele disse que estava doendo. Do espelho dava pra ver eu o fudendo. Uma imagem que me excita só de lembrar. Pena que não durou muito, logo ouvimos de novo a porta e separamos.

Mas dessa vez pude ver que era um segurança. Nesse shopping os seguranças entram toda hora no banheiro pra tentar evitar as gays de se pegarem. Assim que ele saiu, ele veio de novo, mas nisso eu já tinha broxado. O fato de ser um segurança me deixou com medo.
Falei pra ele que estava apressado e tinha que ir já.

Ele fez uma carinha linda de triste e nos despedimos. Queria ter pegado seu contato pra marcar algo melhor num motel ou algo do tipo… Mas vou ter que me contentar com aquela foda inusitada com ele… Ou torcer pra encontrá-lo novamente no banheirão do shopping.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.